Início > Jornalismo > Zero Hora dá um olé nos fatos

Zero Hora dá um olé nos fatos

Matéria da Zero Hora deste domingo (disponível para assinantes) faz uma curva pelos fatos, dá uma ajeitadinha para que a história fique um pouco mais interessante e conveniente. A página 8 diz no título que “Folga de Tarso gera polêmica”.

O texto já começa com uma maldade na primeira frase: “Com menos de seis meses de mandato, o governador Tarso Genro passou a maior parte da semana passada de folga em Madri, na Espanha”. Não é essa a matéria que o título anuncia. Segundo os critérios objetivos de notícia, que a Zero Hora costuma dizer seguir, o lead (abertura da matéria) deve conter a questão central que está sendo noticiada, o “o que”, “quando”, “quem”, “onde” e “como”. Não é isso que está sendo mostrado aqui.

Mas o olé nos fatos vem logo mais. Ao longo do texto, diz que “o PT criticou duramente a ex-governadora Yeda Crusius quando ela visitou o filho nos Estados Unidos”. Como mostrou a própria Zero Hora em 11 de abril de 2009, o cerne da polêmica girava em torno da não-transmissão do cargo durante a viagem, já que Yeda não dialogava com praticamente ninguém, nem com seu vice, Paulo Feijó (que também estava viajando, mas que certamente cancelaria o passeio para assumir o Piratini) e muito menos com o presidente da Assembleia, o petista Ivar Pavan.

Ou seja, a polêmica não é a mesma. Em 2009, não houve questionamento sobre o fato de a então governadora viajar a passeio durante o exercício do mandato. E uma viagem exclusivamente de turismo, ao contrário da de Tarso, que tirou uns dias de folga entre importantes compromissos de trabalho. A polêmica de dois anos atrás não existe hoje: o governador tem um ótimo relacionamento com seu vice, Beto Grill, em quem confia e a quem transmitiu o cargo sem qualquer tipo de constrangimento ou pé atrás.

No texto feito pelo mesmo jornal quando da viagem da ex-governadora, não dizia que ela “durante os dias de folga, assistiu a cinco filmes, fez caminhadas diárias e manteve contatos com a esquerda espanhola”. Se a viagem a turismo fosse algo de se questionar, o caso de Yeda seria um pouco mais grave, já que Tarso aproveitou para fazer política, que indiretamente pode até beneficiar o estado.

Zero Hora planta uma contradição no PT que não existe. E o faz com extrema maldade na escolha das palavras, querendo mostrar que o governador está lá curtindo a vida sem fazer muito caso do que acontece no estado. Neste caso, o partido de Tarso não foi incoerente, não fez no governo o que criticava na oposição.

Pluralidade?

E ainda nem entramos no mérito da diversidade de fontes, a tal pluralidade. Em 2009, o jornal consultou o presidente da Assembleia, Ivar Pavan, o secretário da Fazenda, Ricardo Englert, a assessoria do vice-governador, Paulo Feijó, o secretário do Planejamento, Mateus Bandeira, o chefe da Casa Civil, José Alberto Wenzel, o líder de bancada Elvino Bohn Gass (PT), o deputado Adão Villaverde (PT), o senador Pedro Simon (PMDB) – entrevistado na qualidade de ex-governador -, e o também ex-governador Alceu Collares (PDT), nesta ordem. Comentou ainda que Germano Rigotto, outro que ocupara o Piratini, não quis opinar.

No texto deste domingo, os entrevistados foram o líder da bancada do PSDB, Jorge Pozzobom, o líder da bancada do PMDB, Giovani Feltes, e o deputado Frederico Antunes (PP). Todos da oposição. Uma retranca, no pé da página, dá a posição de Tarso. Mais uma vez, tratamentos diferentes e a criação forçada de uma polêmica.

Anúncios
  1. João Volino Corrêa
    12/06/2011 às 23:58

    Oi Cris,

    Tempos atrás me ocorreu de propor a campanha Ombudsman Já na ZH, logo depois de saber de uma amiga que o tal “Conselho de Leitores” criado para dar uma ar de “a gente se preocupa com o que pensam do que a gente publica” era repleto de mimosuras com finalidade de promover lavagem cerebral com gosto de democracia marketeira, ao sabor de lanchinhos e sucos mil.

    Bem que agora, com o Cloacinha, o Diário Gauche e o RS Urgente, além de ti e dos muitos blogueiros, essa campanha poderia provocar esse patranha metida a democrata e moderninha, no mínimo, a ter que responder porque não adotam essa política de auto-crítica, de fato, ao invés de paparicar leitores pra aliciar consciencias coletivas.

    Abraço

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: