Início > Jornalismo > Chargista da RBS agride o bom senso

Chargista da RBS agride o bom senso

Machista, baixo, agressivo e sem graça. A charge do Marco Aurélio na Zero Hora de hoje mostra o quanto uma pessoa se rebaixa para agredir o adversário. Esquece que a batalha é política, não pessoal e que furar o olho do inimigo não faz parte das regras do jogo. Não enxerga que quem merece a crítica é a Folha, por se portar como Caras, essa sim uma grande piada. Ofende as mulheres, ofende qualquer ser que pense. E os que não pensam também.

E o pior é que o Marco Aurélio não é só equivocado, de direita, nefasto, agressivo. Ele não apenas faz mal à sociedade incentivando um preconceito nos mesmos moldes que a campanha de Serra. Um dia ainda tenho pretensão de entender, se é que isso é possível, como a RBS mantém empregado um chargista que não cumpre com o único objetivo inerente à profissão, seja o executor da ideologia que for: o humor.

Anúncios
  1. Cleberson Silva
    08/11/2010 às 23:55

    Por mim ele mantém o emprego, já que me fez rir com sua charge :]

    • luizmullerpt
      09/11/2010 às 0:26

      O problema Cleberson é que a direita e o nazismo sempre venderam o preconceito através das entrelinhas ou então através de mentiras repetidas muitas vezes e que quando não contestadas a altura acabam parecendo verdades. Foi Goebels, Ministro da Propaganda de Hitler que ensinou estas coisas ao Führer. Neste caso ta falando da Dilma. Mas e se estivesse falando da minha mãe ou da tua, ririas igualmente? O preconceito pode estar nas entrelinhas dos jornais e dos dizeres de radialistas ou apresentadores de televisão, mas podem também estar nas entrelinhas dos nossos pensamentos, pois alí foram introjetados por anos e anos de semeadura de uma cultura hipócrita que critica nos outros o que em nós mesmos é natural.

      • Cleberson Silva
        09/11/2010 às 8:40

        Acho que eu riria sim, sinceramente.
        Vocês ativistas de esquerda gostam de bancar as vítimas de uma conspiração, barbaridade. É muita paranóia.
        É só humor, ora bolas. Essa cultura do “politicamente correto” deixou o mundo muito mais sem graça…

    • Seelwa
      10/11/2010 às 9:29

      Este pseudo-qualquer-coisa, sempre vai manter se empregado. É a cara da RBS e do novo editorial do informativo do CREA-RS, quando o último adotou a defesa da silvicultura e das grandes intervenções urbanísticas em Porto Alegre.
      Portanto competência e bom humor não está em jogo.

  2. 09/11/2010 às 8:13

    Quando o preconceito é contra os judeus eles gritam e esperneiam. No entanto, são agressivos e baixam o nível contra os que não suportam. Desta forma, estão fomentando uma cultura de intolerância e desrespeito. “Pimenta nos olhos dos outros é colírio”

  3. 09/11/2010 às 9:54

    Os partidos usamm nas campanhas o método de propaganda nazista e ninguém fala nada. Todos os dias existem charges falando de vários segmentos, várias pessoas, principalmente dos candidatos e de políticos mas agora por se tratar de uma pessoa eleita, por um partido que tem fama de tentar censurar tudo, que tem amizade com vários países onde tudo é proibido, agora vão querer até proibir charges. É assim que se começa a censura, depois vem a ditadura. Nunca reclamam, só quando são atingidos e à partir daí querem proibir tudo. Basta ver o CQC e o quanto essa turma do PT fica proibindo eles de fazerem crítica, fazem piadas também, mas quando é só piada eles acham graça, quando tem críticas junto querem empurrar e não respondem. O Lula dizia que o Serra estava desrespeitando a Dilma como mulher só por criticá-la. É um absurdo. Agora ela pode tudo, pode até fazer parte de grupos de terroristas e se alguém falar mal dela é machista. Vamos parar com isso, charge é piada e tem muitas outras coisas mais sérias para serem discutidas, talvez até ela, o Lula e a mãe dela estejam vendo essa charge e rindo. Temos coisas mais sérias para nos preocupar, deixa o pessoal fazer charge. O PT sempre usou os ensinamentos de Goebels na propaganda do Governo. Agora vão repetir que o ENEM foi um sucesso até que todos acreditem nessa mentira.

  4. 09/11/2010 às 10:21

    Quando o preconceito está no humor e ajuda a perpetuar essa discriminação na sociedade, é sério e tem que ser discutido, sim.

    Existe um limite entre a sátira e a ofensa. Cabe ao bom senso defini-lo.

    Aliás, um dos grandes problemas do Marco Aurélio é que eu não consigo enxergar humor na imensa maioria de suas charges. Quem sabe fazer humor, não precisa agredir ninguém para fazer rir. É possível satirizar, falar de esquerda ou direita sem ofender, de forma criativa. Brincar com os defeitos, sim. Mas sem apelação. Até porque esse não é um defeito da Dilma, mas um preconceito contra a mulher. A Dilma foi usada na charge, mas a ofensa não é a ela. O problema não é qual mulher que está retratada.

    Juro, digo há muito tempo que o problema do Marco Aurélio não é nem sua posição ideológica. Seria compreensível até ter um chargista de direita na RBS. E bem, o cara pode ter sua posição e ser um baita profissional. O problema do Marco Aurélio no cotidiano de seu trabalho é que ele é ruim. Não tem o tino da coisa. Não tem talento. Daí apela para a baixaria para fazer o que era papel do talento.

  5. 09/11/2010 às 10:22

    Um pequeno acréscimo: é preciso diferenciar crítica de ofensa. Uma cabe na charge, a outra não.

    • 09/11/2010 às 10:36

      A ofensa existe nas charges, em milhares de charges que falam de carecas, loiras, velhos, gordas, desdentados e muitos outros segmnetos. Charges ofensivas existem aos milhares por aí à decadas, desde que foram criadas, mas porquê só agora reclamam? Só porquê é a Dilma? Se acham ofensivo combatam como um todo, sempre que surgirem e não só no momento que alguém importante aparece nela. Nunca combateram, nunca defenderam as milhares de mulheres que já foram ofendidas em milhares de charges existentes por aí e agora podem uasr essa como justificativa para censurar, é disso que tenho medo, de aproveitarem algo desse tipo para censurar não somente a ofensa, mas aproveitar para censurar a crítica. Essa charge não é mais ofensiva do que milhares que já vi, mas só agora querem defender as mulheres? E se falassem da careca do Serra, esse blog defenderia a honra dos carecas? Cuidado com os resultados desse protesto. Vamos falar contra a ofensa ou permitir que isso seja usado para iniciar a censura? A piada foi sem graça, a afensa poderia ser pior mas temos que cuidar para não mudar o foco e haver censura.

      • 09/11/2010 às 16:58

        Oziel,
        As charges ofensivas a moral dos indivíduos sempre foi contestada por pessoas de bom senso, o problema é que não ecoa na mesma intensidade quando se trata de pessoa famosa, por um motivo muito simples, elas são FAMOSAS. Caso estivessem essas pessoas reclamando da charge sobre minha mãe, você não estaria aqui para criticá-las, correto?

  6. Leo Boechat
    09/11/2010 às 11:14

    Ainda por cima, desenha muito mal. Que traço horrível…

  7. Maria Coelho
    09/11/2010 às 11:16

    Estarrecida com o machismo e o preconceito carregados nessa charge. Pura ofensa e indigência mental do chargista…

  8. 09/11/2010 às 11:35

    Acho que não existe absolutamente nada sobre o qual não se possa fazer piada, e mesmo as piadas ruins tem seu lugar. Mas essa charge não tem nada de humor, porque humor pode muito bem ser ofensivo, mas uma ofensa sem humor (como esta do Marco Aurélio) é apenas uma ofensa gratuita.

  9. 09/11/2010 às 14:27

    Não vejo a menor graça. Aliás, Marco Aurélio, sem considerar suas opiniões políticas, é fraco.

    Sob esta charge há um mar de preconceito: contra a mulher, contra os gordos, contra a Dilma, contra mulheres pouco atraentes do ponto de vista sexual e contra aquilo que seria um mero “favor” de Lula. Ao punch humorístico, ele prefere vagas mensagens subliminares que dão a impressão de esperteza ao leitor mais limitado. Soa como uma charge-tese, reveladora apenas de um ódio que não pode ser explicitado.

    Mesmo assim, fica clara a ofensa.

    Detesto o humor politicamente correto — prefiro-o BEM INCORRETO — e acho que humor é sempre de oposição. Mas ofender Serra, por exemplo, apenas por ser careca, é pura agressão. Já a bolinha de papel na careca fica mais legal.

    Já o Cloaca, muito mais fino, bota apenas uma bolinha de papel no banner. E faz todo mundo morrer de rir.

    É isso. Falta classe ao moço de ZH.

  10. 09/11/2010 às 14:31

    Aliás, um dia ainda escrevo sobre o minimalismo Cloacal.

  11. 09/11/2010 às 15:17

    Achei de um machismo incrível. Mulheres sempre tem que exibir uma forma física impecável – dentro dos padrões pré estabelecidos por uma sociedade patriarcal. De muito mau gosto e falta de inteligência. Me decepcionei com o Marco Aurélio, o julgava com mais capacidade do que essa coisa obvia de julgar uma mulher mais pelo físico e menos pela sua capacidade.

  12. 09/11/2010 às 23:43

    Os reacinhas de plantão acham que nós, de esquerda, somos “paranoicos”.

    Mas aí se faz uma crítica a uma charge, e eles vêm reclamar que “isso é defender a censura”. Como se a DEMOCRACIA não nos desse o livre direito à crítica.

    Afinal, quem é paranoico?

  13. claudia cardoso
    10/11/2010 às 1:28

    Só descerebrados ficam cegos frente há uma ofensa, como esta cometida pelo Marco Aurélio que, nas pakavras de um célebre chargista riograndense, o menor dos problemas deste cara é ter um desenho ruim

    Mas mudemos o personagem e “piadinha”, numa situação análoga de preconceito descabido, para ver se descerebrados compreendem a ofensa de Marco Aurelio naquilo que cerebrados enxergam, independente de serem de direita e de esquerda. “Viste a foto de fulano de tal nu?”. Ao que responde o interlocutor: “Pobre da esposa do cara…” numa direta alusão ao seu pau pequeno. É isso: mulheres serem chamadas de gorda, tudo bem, né? É só uma piada! Quero ver homens descerebrados rirem de piada de homem com pau pequeno [ao se saber que tamanho não é documento!!!]!
    Doi ou não doi o preconceito de uma piada, descerebrado?

    • claudia cardoso
      10/11/2010 às 1:30

      Ops! “frente a uma ofensa…” :-)

  14. claudia cardoso
  15. Tania R Guimaraes
    10/11/2010 às 9:23

    esta e so uma das baixarias que surgirao contra a presidente. Todas as pessoas decentes devem reagir nao lendo este lixo, nao divulgando este lixo. nao adianta discutir com ignorante, brucutus, reacas retrogados. Seus preconceitos sao odiosos, sarcasticos e sadicos.
    Esta cambada nao tolera serem ignorados. Ignorar los seria o maior castigo. A materia ja e publicada como provocacao. Eles agora tem o genero da presidente, e seu maxismo carragara tudo que ha de mais nojento nesta cambada de imbecis.
    E que falta inteligencia, conteudo, nisto eles sabem que perderiam os argumentos. Agora, se a tiragem deste lixo diminuir, ou se o consumidor em massa nao comprar os produtos ai anunciados, deixando o industrial saber que nao vai comprar o que se estampam em lixos, eles dariam um freio nestas valas. Porem o consumidor de midia no Brasil ainda nao se deu conta do seu poder de ralmente controlar esta midia que nao passa de um porco comendo lavagem e arrastando ele, indignado, porem propagando este lixo.
    transforme sua indignacao em acao positiva. Escolha um anunciante de cada vez e boicote seu produto, deixando o saber porque o faz. Veras o nivel subir automaticamente. A unica lingua que pig entende e a da grana

  16. 10/11/2010 às 9:57

    Tô falando, só estão reclamando porquê falaram da presidenta, à anos acontece esse tipo de charge e nunca defenderam as mulheres.
    De nada adianta reclamarem aqui, tem que reclamar pro jornal e eles terão duas opções: demitir ou deixar de colocar charges desse chargista, ou mudar de postura e não aceitar mais charges desse tipo de nennhum chargista. Mas eles não irão se incomodar com reclamações, isso é bom prá eles, dá mais visibilidade, agora muitas pessoas estão acessando o jornal e a charge só para ver como é. O aumento de visibilidade aumenta o valor que recebem na publicidade, falar mal pode ser bom prá eles.
    Legalmente não à nada que possam fazer, só a Dilma e o Lula poderiam reclamar judicialmente, se eles nada fizerem (e até agora ninguém sabe se eles aceitaram a charge como algo normal ou se sentiram ofendidos) nada será feito, só se um número significativo de pessoas reclamar pro jornal, mas eles tem defensores também. Pro jornal, prá audiência do jornal, essa discussão é ótima.

  17. 11/11/2010 às 16:26

    Mayara Petruso no Twitter http://t.co/ePEz52N

  1. 09/11/2010 às 0:27

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: