Início > Comunicação, Jornalismo, Política > Política de Comunicação no governo Dilma

Política de Comunicação no governo Dilma

A Dilma peço uma coisa em especial. Espero de verdade que ela dedique um carinho maior a áreas em que o governo Lula deixou a desejar, na maioria dos casos em nome da tal governabilidade. Uma dessas áreas, que me toca em particular, é a comunicação. Ceder o ministério ao PMDB, a um nome afinado com os grandes grupos de imprensa tradicional, pode até ter sido necessário para que Lula aprovasse outros pontos importantes para a transformação que fez no país, mas eu gostaria muito que isso não se repetisse no governo Dilma.

Peço a ela e a seu governo, mas peço também a cada um de nós. O deputado Ivar Pavan, que concorre a federal, tem citado uma frase que Lula disse no comício em Porto Alegre. Assino embaixo que é nosso papel fazer com que Dilma não enfrente as mesmas dificuldades por que Lula passou, e para isso precisamos eleger candidatos da base aliada para o Congresso. Digo mais, só base aliada não, mas candidatos do PT, ou pelo menos aqueles que sabemos que são de esquerda.

Espero que a comunicação não entre na negociação de cargos e votos dessa vez. Entendo que é preciso o diálogo e às vezes se tem que ceder. Mas espero de Dilma que tome como estratégica a comunicação e dedique à área atenção maior. Aproveitando a atitude da vizinha argentina essa semana – cuja presidente, Cristina Kirchner, apresentou um relatório acusando os donos dos principais jornais de envolvimento com a ditadura, em uma estratégia de governo de limitar o poder dos grupos Clarín e La Nación –, espero uma política que enfrente o monopólio. Uma política que defenda a pluralidade.

Não a censura, muito pelo contrário. O controle dos grandes grupos para que os pequenos também tenham meios e espaço. Para que a diversidade regional tenha lugar, com regulamentação efetiva e aplicação da legislação.

Tudo isso peço ao governo Dilma. Espero não estar sonhando alto demais.

Anúncios
  1. 29/08/2010 às 21:34

    Concordo plenamente, assino embaixo e carimbo.

    Se isso acontecer, terei novo ânimo pra seguir como jornalista. Viva a Ley de Medios!

  2. thales
    01/09/2010 às 17:19

    O vice de Dilma é o Temer, do PMDB. Se no governo Lula o PMDB teve a fatia que teve, imagine agora, tendo o vice da chapa. Oremos.

  3. 03/09/2010 às 21:36

    O thales apontou um dado interessante, mas fez uma conclusão complicada. Eu penso exatamente o contrário: agora que o vice é PMDBista o partido terá menos influencia nos ministérios.

    Mas veremos.

    Abraço!

    • 03/09/2010 às 23:38

      Justamente, André, foi exatamente o que eu pensei. O PT já cedeu a vice pro PMDB, diminuem os ministérios. De qualquer forma, se a comunicação for tomada como política prioritária, estratégica, pode ficar entre os ministérios não cedidos em negociações. Mesmo no governo Lula, que deu vários cargos para compor, houve alguns eleitos prioritários que ficaram com o PT e adotaram posturas condizentes com a defesa histórica do partido.

      Assim espero para a comunicação com Dilma.

  4. 04/09/2010 às 10:56

    Tem esse outro post sobre o poder midiático. Um poder sombrio que aos poucos Tb será derrotado no Brasil. Porem cd povo vive suas circunstancias. Se a sociedade brasileira não priorizar a democratização e radicalizar uma conscientização continua da população vai demorar mais. Para ser efetivo Mauro Santayana preconiza que seja através da Educação com visão critica sobre os meios. Tudo que acontece na Argentina tem precedentes. A sociedade foi mobilizada. Nos fizemos a PRIMEIRA conferencia de comunicação. Não depende só de Dilma
    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=16923
    Divirtam-se com esses outros
    Sobre a leitura dos jornais nos deixarem estúpidos do R. Alves
    http://www.rubemalves.com.br/seraquealeituradosjornaisnostornaestupidos.htm

    A verdadeira função da imprensa”
    http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/a-verdadeira-funcao-da-imprensa/29855/ e esse outro
    http://www.kanitz.com/impublicaveis/jornalismo_do_deboche.asp

    Artigo do Emilio Odebrecht na FSP “A imprensa e o novo Brasil” de 12/01/10
    http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=572IMQ005

    Vcs estão sabendo que Eduardo Guimarães do Movimento dos sem midia vai entrar com representação sobre a ilegalidade do “opinioãonismo” dos meios concedidos durante a campanha eleitoral
    http://www.blogcidadania.com.br/2010/09/apoie-a-nova-representacao-do-msm-a-justica-eleitoral/

  5. Jaime Rodrigues
    04/09/2010 às 22:14

    Vitória de Dilba em 1 turno deverá expressar derrota de Neoliberalismo, falta de liderança, discurso, proposta, estrutura. Estará dada a ocasião para a sociedade iniciar um novo Sistema Político: Midia, Justiça justa ou seja elevar o Estado e o povo ter espaço para se apropriar bem mais.

  1. 26/09/2010 às 20:44
  2. 11/10/2010 às 18:32
  3. 21/10/2010 às 17:16

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: