Início > Jornalismo, Política > Serra ganha 7 vezes mais tempo que Dilma no JN de hoje

Serra ganha 7 vezes mais tempo que Dilma no JN de hoje

O que o Jornal Nacional fez hoje, se não é propaganda eleitoral, eu não sei mais nem quem sou. Não foi só no tempo a diferença entre a cobertura do PT e a do PSDB. Dilma apareceu primeiro no JN, mas foi bem rapidinho. Serra veio em seguida, com direito a histórico, retomada da infância, trajetória política, atuação durante a ditadura e o escambau. E mal comentando o fato de Serra não conseguir encontrar um vice.

Quando terminou a propaganda com o off da reportagem (que lembrou que foi o PSDB o precursor do Bolsa Família), passaram para a sonora. O discurso que o tucano fez em Salvador no lançamento de sua candidatura foi reproduzido em parte no jornal. Dilma não apareceu falando. A escolha da fala do ex-governador paulista complementava o off, tratava da infância humilde, aquele discurso velho, já usado à exaustão. Sem deixar de citar os tais dossiês, é claro.

Foram 41 segundos referentes a Dilma, com título que trata do PT apenas indiretamente: “PMDB e PDT oficializaram a aliança com o PT para a campanha à presidência da república”. Ou seja, o tempo nem foi integralmente dedicado à petista, mas dividido com PMDB e PDT.

Para Serra, a dedicação foi de 4 minutos e 51 segundos. São mais de sete vezes a mais que o dedicado a Dilma. E tem ainda a diferença no título da matéria no G1, a coisa é gritante: “Serra afirma que o compromisso com a democracia é inegociável”.

A diferença de tratamento foi definitivamente escancarada.

Vergonha.

Anúncios
  1. Upiara Boschi
    12/06/2010 às 21:32

    Eu disse no twitter, vou repetir aqui. Na quinta-feira a Marina teve os mesmo tempo e estilo de cobertura. É o padrão da cobertura da convenção que lança o candidato oficialmente.

    A convenção petista é amanhã. Por ter marcado sua convenção para um domingo, Dilma deve ganhar seus cinco minutos em pleno Fantástico. E ainda assim vão reclamar.

  2. Cleberson Silva
    12/06/2010 às 23:09

    Upiara Boschi, não adianta, os petistas sempre se colocam na posição de “vítimas da elipe golpista”.
    Não vejo uma vírgula aqui sobre o uso da máquina pública para promover a ex-ministra. Porém quando uma emissora privada usa mais tempo para cobrir outro candidato, logo é torpedeada. Vai entender…

  3. Domicel de franca fillho
    13/06/2010 às 1:05

    Vejamos, ha 110 dias do dia da eleicao, trajetoria descendente, globo supervalorizando o seuu candidato, menosprezando o potencial candidato.
    Faltou o que, vejamos, vejamos… Uma pesquisa tendenciosa, mais uma depreciacao na candidata potencial, uns bochichos malevolos e pronto, e mesmo assim, Bye-bye Serra 2010.

  4. Cleber
    14/06/2010 às 9:39

    O Fantástico ontem deu uns 4’50” na cobertura do lançamento oficial da candidatura da Dilma (http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1599779-15605,00.html). Claro que o “recheio” desse tempo é o que realmente importa, e é onde fica mais difícil comprovar parcialidades, situação sempre muitíssimo bem explorada pelos veículos, como no episódio do JN pós-debate Lula Collor.

    Só uma lembrança ao Cleberson: a emissora pode ser privada, mas a concessão é pública, por isso a pertinência dessa discussão.

  5. 14/06/2010 às 12:22

    E Cleber, além de a emissora ser concessão pública, o jornalismo tem uma função social inerente à profissão. E tem princípios éticos que devem ser seguidos.

    Cleberson, concordo, o Fantástico deu quase o mesmo tempo para o PT que o Jornal Nacional deu para o PSDB. Mas discordo que o conteúdo tenha sido equivalente. Mas aí é como disse o Cleber, extremamente subjetivo.

  6. Cleberson Silva
    14/06/2010 às 21:42

    Esse tipo de discussão me lembra a eterna disputa sobre o time que a imprensa esportiva do RS apoia, se Grêmio ou Inter. Sempre dizem que ela apoia o time adversário…

    Cleber e Cris: sim, a concessão é pública, mas a empresa que a explora não. Ela busca satisfazer o interesse de seus acionistas e não o interesse público (embora eles eventualmente possam até convergir). Absurdo seria uma emissora pública favorecer algum dos candidatos, isso sim.

    • 14/06/2010 às 22:16

      Cleberson, mesmo a empresa sendo privada, seu papel como concessão pública é servir à sociedade. Absurdo é tanto empresa privada com (ou sem) concessão pública quanto empresa pública favorecer algum dos candidatos. Velha discussão entre interesse público e interesse do público.

      Mesmo que as pessoas achem a programação bacaninha, quando é desonesta a empresa não está atendendo a um interesse público. Está enganando-o.

  7. CARLINHOS
    16/06/2010 às 20:14

    COITADO DO CLEBERSON….
    NÃO VÊ COMO O PT MUDOU O BRASIL DE SUBDESENVOLVIDO PARA EMERGENTE… DE VERGONHA FHC FMI PARA ORGULHO DE PAIS INDEPENDENTE…AINDA CONTINUA SONHANDO COM O RETROCESSO.
    SÓ PODE SER PAIXAO POR PARTIDO VENCIDO.
    ACORDA…
    VENHA CONOSCO CONTINUAR MUDANDO O BRASIL!!
    NO PSDB NÃO TEM UM LULA…NEM MOVIMENTOS ORGANIZADOS…

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: