Início > Eventos, movimentos sociais, Sociedade > Agricultura familiar produz muito mais que a patronal

Agricultura familiar produz muito mais que a patronal

A velha história de ensinar a pescar em vez de dar o peixe. Em parte, a agricultura familiar tem disso. Mas não é só. As histórias provam que ela é auto-sustentável, que vale a pena investir nela, porque traz dignidade para muita gente que nunca tinha tido oportunidade. Mas a agricultura familiar vai além. Ela não é boa só para o pequeno agricultor, a família que planta, colhe, vende, sustenta a casa, consome o que produz.

A agricultura familiar faz a economia girar, é boa para o país. A prova é traduzida em números pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel. Eles são um pouco chatos às vezes, mas são úteis para entender a dimensão da importância desse setor da economia.

“A agricultura familiar brasileira responde por 70% de tudo q a gente consome no dia-a-dia”, disse o ministro ontem, na abertura da Feira de Agricultura Familiar e Reforma Agrária | BRASIL RURAL CONTEMPORÂNEO. São 4,3 milhões de propriedades, é muita gente envolvida. Só no Rio Grande do Sul, são 378,5 mil, que correspondem a 86% do total de estabelecimentos agrícolas. Agora olha o absurdo: ocupa só 33% da área agricultável. Ainda assim, produz 54% de todo o valor bruto (84% de todo feijão produzido, por exemplo). Os dados são do Censo Agropecuário do IBGE.

Está dando pra entender? É menos da metade de estabelecimentos, ocupando uma área muito menor e produzindo bem mais proporcionalmente. Ou seja, muito mais vantajoso para a economia do estado, do país.

A agricultura patronal, em contrapartida, são basicamente latifúndios, que empregam menos, geram desemprego e produzem para exportação (lembram? 70% do que a gente consome é produzido por famílias em propriedades pequenas). Na agricultura familiar, há 16,1 pessoas por hectare. Na patronal, 1,7 pessoas no mesmo espaço. Lembra aqueles números do RS? Em 33% da área agricultável do estado, que é a ocupada pela agricultura familiar, trabalham 81% das pessoas ocupadas no meio rural.

Quer ver o resultado disso tudo? Tem uma geléia de ameixa com cravo no armazém A4 do Cais do Porto que é uma delícia. Não custa caro, dá pra provar na hora e faz a economia do país respirar.

———–

Mais:

Brasil autogestionário
Centro de Estudos Ambientais (CEA)
– Fotógrafo Eduardo Seidl (Sul 21)

Aqui, a programação.

O site da Feira: Brasil Rural Contemporâneo

Anúncios
  1. 14/05/2010 às 19:25

    Cassel é um dos melhores e mais mal divulgados ministros do governo Lula. O MDA tem os melhores programas sociais do governo, mas a repercussão é mínima, pois parece que seu ministério se resume a distribuir terras;
    O MDA é o ministério que mais se integrou aos movimentos sociais de sua área; exceto o MST.

    Confesso que lamento a saída do ex-ministro do MAPA Roberto Rodrigues que era um entusiasta do cooperativismo e não fazia o jogo fácil da CNA como o atual.

    Cassel também foi o primeiro ministro a entender a importância de um site de qualidade. É pauta recorrente no meu blog.

  1. 01/06/2010 às 22:06
  2. 21/05/2012 às 1:39

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: